top of page

Saúde Mental, Yoga e Exercícios Físicos.

Atualizado: 17 de dez. de 2023

Os exercícios para cuidar da saúde mental surgem como uma excelente alternativa na hora de buscarmos um equilíbrio para lidar com as situações do dia a dia. Porém, quando se fala em saúde mental, muitas pessoas pensam imediatamente em transtornos.

Acontece que o tema é muito mais abrangente, sendo que a saúde mental está muito mais conectado ao modo como o indivíduo lida e reage aos percalços da vida. A maneira como a gente lida com nossos anseios, emoções e ambições estão o tempo todo influenciando o nosso estado mental.

Para quem busca uma atividade que cuide tanto do corpo quanto da mente, a Yoga, sem dúvida, é uma das melhores alternativas. Mas antes, vamos entender um pouco mais sobre o que faz parte de uma saúde mental equilibrada?


Saúde mental: o que é e o que engloba?

Como você tem lidado com as situações do cotidiano? Você é daqueles que consegue respirar fundo e não deixar suas emoções falarem mais alto? Então, podemos dizer que você está com a saúde mental equilibrada.

Saúde mental é a capacidade que uma pessoa tem de lidar positivamente com as questões da vida, os problemas e o enfrentamento do mundo moderno como um todo. Sendo assim, podemos entender que ter saúde mental engloba ainda:

  • Estar bem com você mesmo e com as outras pessoas do seu convívio;

  • Lidar bem com as exigências da vida;

  • Saber encarar as boas emoções e também as desagradáveis;

  • Reconhecer seus limites e buscar ajuda quando necessário.


Como o exercício físico e o yoga podem afetar a saúde mental?

Os exercícios físicos e a prática física do yoga com asanas, pranayamas e meditação ativam a produção de hormônios do bem-estar, que são a endorfina e serotonina. Porém, os benefícios dos exercícios para cuidar da saúde mental vão além da produção hormonal, pois melhora a cognição, produz novas células cerebrais e aumenta a capacidade de memória em até dois anos, além de rejuvenescer o cérebro.

Outro ponto importante é que atividade física é diferente de exercício físico. Muitos acreditam ser a mesma coisa, mas a atividade física consiste realizar movimentos para que o corpo possa consumir mais energia, exigindo assim um gasto superior ao que o corpo consome em estado de repouso.

Exercício físico
Exercício físico é uma atividade física planejada.

Já o exercício físico é a atividade física planejada, estruturada e repetitiva que tem o objetivo de aprimorar a aptidão física. Ambos devem ser praticados de maneira correta, com orientação de um profissional de Educação Física, para evitar qualquer tipo de lesão ou reação.





Endorfina, o hormônio do prazer.

Qualquer exercíco físico corrida, yoga, natação, caminhada, escalada... libera endorfina. O que poucos sabem é que a endorfina, além de propiciar a sensação de bem-estar, também funciona como um analgésico natural, pois diminui as dores. Conhecido como o ‘hormônio do prazer’, ajuda a combater questões emocionais, como a ansiedade e a depressão, além de aumentar as sensações agradáveis de felicidade e de alegria.


Serotonina, o hormônio da felicidade

A serotonina, produzida durante a prática de exercícios físicos, é considerada vital na regulação do humor e na sensação de bem-estar, tendo igualmente um papel relevante ao nível do sono, além de interferir na produção do GH, conhecido como hormônio do crescimento, caso seu nível esteja baixo no organismo.


O cortisol não é um vilão

Conhecido como o hormônio do estresse, o cortisol tem a função de proteger a nossa saúde. Durante a prática de atividade física, o tipo de hormônio liberado no corpo é diferente do produzido pelo organismo no estresse do dia a dia. O cortisol liberado na quantidade correta diminui dos efeitos do estresse e estimula a liberação de dopamina, neurotransmissor que aumenta o bem-estar.

Adrenalina, respostas rápidas em situações de estresse

Conhecida também como epinefrina, a adrenalina é produzida durante as práticas de esportes radicais ou atividade física intensa. Ela ajuda a ativar o cérebro, deixando-o mais alerta.

Somatotrofina (GH), hormônio do crescimento

O organismo não deixa de produzir GH, só diminui a quantidade após a explosão do crescimento que se dá na adolescência, a atividade física libera o GH no corpo. Estudos demonstram a importância do somatotrofina no controle clínico da ansiedade, depressão e pânico. A baixa do GH, segundo estudos, está relacionada à demência, arterioesclerose e perda de cognição.


Pranayma e meditação

O pranayama acalma o coração e energiza a mente, pois oferece mudanças na resposta do sistema nervoso autônomo, ajudando a reduzir sintomas associados à ansiedade, depressão, déficit de atenção. A prática do yoga requer olhar para si, autoconhecimento e nos tira um pouco do fluxo comportamental da sociedade, nos torna uno.

Os problemas são produzidos pela reação aos pensamentos, a prática regular de yoga e meditação contribui para a aceitação. Com a meditação, passamos a acolher os pensamentos, aceitá-los e deixá-los ir. A ideia é ser imparcial com os pensamentos invasivos e negativos. A pessoa para de reagir e passa a agir com consciência de que tudo é temporário, que a vida é impermanência.

Uma observação importante: pranayama sem orientação correta pode prejudicar mais do que ajudar, portanto, pratique com um instrutor de yoga. Pessoas que estão na fase aguda da doença mental, não podem praticar meditação sem o acompanhamento ou liberação do médico psiquiatra.

Agora que você já conhece os benefícios dos exercícios para cuidar da saúde mental, é hora de escolher aquele que mais se encaixa à sua personalidade e gosto. Vamos mexer o corpo para liberar felicidade, prazer e harmonia com a vida.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pranayama

bottom of page